sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Academia Brasileira de Letras lança aplicativo do Vocabulário Ortográfico

A Academia Brasileira de Letras(ABL) lançou um aplicativo grátis de consulta ao Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (VOLP). Disponível para versões em Smartphones e tablets, e com quase 380 mil verbetes que já seguem as novas regras previstas no Acordo Ortográfico o aplicativo pode ser baixado pelo Android ou iOS.
Um dos recursos mais interessantes do aplicativo VOLPé o de auto-completar-se (o que facilita a digitação em telas pequenas). Outro é a regulagem do tamanho da fonte (para telas pequenas e pessoas com dificuldade na leitura).
De acordo com os técnicos responsáveis pelo aplicativo, quando um usuário começar a digitar parte da palavra cuja grafia precisa consultar, uma listagem de possíveis resultados aparecerá  na tela, e ele poderá encontrar a exibição do vocábulo antes mesmo de terminar a redação de tal termo. O aplicativo dispõe também de  um ajuste que pode ampliar ou reduzir o tamanho da fonte, facilitando a leitura.
Há poucos dias no ar, o aplicativo tem avaliação 4,7 de uma pontuação máxima 5, no Google Play. Os comentários são elogiosos: “Sempre usei no site, mas essa opção é maravilhosa”, diz uma usuária. Outra, ressalta: “Esperava há muito tempo por esse aplicativo”. Há também sugestões de melhora, como a possibilidade de se copiar, no próprio dispositvo, as palavras com a ortografia correta.
Academia Brasileira de Letras também mantém o espaço online ABL Responde para perguntas sobre gramática ou ortografia. De acordo com o presidente da ABL, aproximadamente 1,6 mil perguntas sobre gramática ou ortografia são feitas mensalmente neste espaço online.
Vale lembrar que as novas regras do uso do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, só poderão ser cobradas a partir de 1º de janeiro de 2016.


10 dicas para usar o tablet offline no ensino

Não é fácil trabalhar com os alunos tendo acesso a internet, ela tem muitos atrativos, já imaginou colocar os alunos para estudar com o tablet e depois perceber que cada um está em um site, aplicativo e rede social diferente? Isso realmente não dá certo, mas você não precisa deixar de usar o tablet em sala de aula, vamos mostrar aqui 10 dicas para usar o tablet offline no ensino.

Os atrativos da internet são muitos e competir com ela não é nada fácil, além disso, muitas escolas não tem wifi liberado para os alunos usarem, por esse motivo você precisa encontrar outras formas. Se deseja fazer um trabalho diferente e usar o tablet é possível fazer isso sem internet, nossas 10 dicas para usar o tablet offline no ensino vão te surpreender. Pode ter certeza que você vai curtir e desejar trabalhar com esse material em sala de aula.
Confira agora nossas 10 dicas para usar o tablet offline no ensino, tem dica para todos, não importa o tipo de matéria que você ensina aos alunos, vai encontrar boas alternativas aqui.

Google Earth

É possível usar o Google Earth no modo offline, você vai ter acesso a tudo, assim como a forma online e pode fazer uma viagem de forma virtual com os alunos. É uma ótima dica para professores de geografia, eles podem trabalhar diversos temas com os alunos e mostrar os exemplos usando o Earth.  

 

Spotify

Mas como usar o spotify na aula? Esse aplicativo ficou muito famoso um tempo atrás, para usar o aplicativo offline é necessário pagar uma mensalidade. É possível usar o spotify em aulas de idioma como inglês e espanhol, muitos professores usam a música como forma de aprendizado.

Documentos do Drive

É possível usar vários aplicativos offline para escrever, os documentos do Google Drive é apenas um exemplo. Seus alunos podem escrever textos, redações, entre outras coisas e depois salvar quando estiver online. É muito fácil usar e seus alunos vão adorar usar esses aplicativos para trabalhar a escrita.  

Workflowy
Com esse aplicativo você trabalha de modo offline e pode fazer listas, anotações e utilizar marcadores para organizar, é interessante para organizar suas aulas, fazer lista de alunos e anotar qualquer outra coisa importante. Esse é um aplicativo especial para os professores usarem e não os alunos.

 

List Buddy

É um aplicativo ideal para os alunos, a medida que eles têm as aulas e os professores passam trabalhos e exercícios eles podem anotar no aplicativo e organizar os seus deveres por meio de listas e calendários. O melhor é que os alunos não vão ter desculpa de esquecer, pois o aplicativo vai lembrar as entregas um dia antes. 

Ultralingua

Um aplicativo para fazer traduções, provavelmente você usa o tradutor do Google, mas com ele é necessário ter acesso a internet. Com esse aplicativo você pode aprender palavras novas e até tirar a dúvida.

 

Guia de viagens

Existem alguns guias de viagem que você pode viajar de forma offline, o interessante é que eles permitem fazer rotas de vários meios de transporte, ver mapas e pontos turísticos. É interessante para algumas matérias como literatura e geografia.

Para as aulas de educação física diferente

Já pensou em fazer uma aluna diferente e que não envolve bola? É possível usar o tablet para ensinar outras coisas como o aplicativo que funciona offline Songsterr Guitar Tabs, esse aplicativo ensina a tocar guitarra. Existem muitos outros aplicativos interessantes, faça uma pesquisa e veja o que pode ensinar seus alunos.

 

Mais uma dica para o professor de geografia ou ciências

Você pode brincar com seus alunos usando o Google Earth para ensinar sobre as localidades, nomes de lugares, países, estados, entre outras coisas.  

 

Instapaper

Esse é um aplicativo que permite que você leia documentos e textos longos de forma offline. Você pode salvar as páginas para ler depois de uma forma mais confortável ou mesmo dentro de sala de aula. para os quais você normalmente não teria tempo na sala de aula.

Agora é só aproveitar essas 10 dicas para usar o tablet offline no ensino e começar a colocar em prática para fazer aulas diferentes e mais divertidas.


quinta-feira, 11 de maio de 2017

NTE de Porto Nacional promove cursos em Tecnologias Digitais para alunos e professores

A Gerência de Tecnologias Aplicadas à Educação - GTAE, em parceria com a professora formadora do Núcleo de Tecnologia Educacional - NTE de Porto Nacional, está disponibilizando dois cursos: Introdução à Educação Digital (para alunos) e Integração de Novas Tecnologias no Contexto Escolar (para Profissionais da Educação), das escolas públicas da Rede Estadual da sede da Regional de Educação de Porto Nacional.
Os cursos acontecerão na modalidade semipresencial (com encontros presenciais), utilizando a plataforma e-Proinfo.
O curso Introdução à Educação Digital tem como objetivo promover a inclusão digital da comunidade escolar por meio de atividades contextualizadas que proporcionam significativos momentos de aprendizagem com o apoio das tecnologias digitais.
Público alvo: alunos do 9º ano, Ensino Médio e EJA (3º segmento)
Carga horária: 60 horas
Programa do Curso: Organizado em 05 unidades de estudo e prática, sendo: Internet, Word, Excel, Power Point e Picture Manager.
Ambiente Virtual de Aprendizagem: e-Proinfo
Local: CEM Félix Camoa
O curso Integração de Novas Tecnologias no Contexto Escolar tem como objetivo integrar as novas tecnologias da informação e da comunicação ao currículo escolar, articulando teoria e prática. O mesmo é direcionado ao uso pedagógico do computador e da internet, integrando outras tecnologias, e proporcionando ao professor maior entusiasmo, criatividade e práticas pedagógicas inovadoras vinculadas às tecnologias digitais.
Público alvo: Profissionais da Educação das Escolas da Rede Estadual da sede
Carga horária: 80 horas
Programa do curso: Organizado em 04 módulos
Módulo I - Conhecendo a plataforma e-Proinfo e a Plataforma Lattes (8h);
Módulo II - Tecnologias na Educação (20h);
Módulo III - Uso pedagógico dos recursos tecnológicos e conteúdos digitais (32h) e
Módulo IV - Currículo e Avaliação (20h).
Local: DRE Porto Nacional
O certificado será emitido ao término do curso, por meio do ambiente e-Proinfo. O participante deverá ter, no mínimo, 75% de frequência e 70% de aproveitamento nas atividades.
O curso será ministrado pela professora formadora do NTE/DRE Porto Nacional. Não fique de fora, vale à pena fazer essa experiência. Entre em contato através do e-mail nteportonacional@gmail.com, para maiores informações.

 Fonte da imagem: http://tecnobibblogue.blogspot.com.br/p/cenarios-de-utilizacao-das-tecnologias.html, 11 de maio de 2017.

Minicursos sobre uso dos recursos tecnológicos CEM Félix Camoa

O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência – PIBID - IFTO realiza minicursos sobre uso de recursos tecnológicos em parceria com o Centro de Ensino Médio Félix Camoa 

17/04/2017 - Aldizia Araújo


O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência – PIBID – IFTO– Campus Porto Nacional - Subprojeto Computação, em parceria com o Centro de Ensino Médio Félix Camoa, realizou uma das ações do programa que é “Sala Modelo” nos meses de janeiro e fevereiro de 2017, em que os Pibidianos tiveram a oportunidade de preparar e ministrar uma aula com uso do computador e ou outras tecnologias de forma interdisciplinar, promovendo ao mesmo tempo, capacitação aos profissionais das escolas parceiras envolvidas. 
O evento foi organizado pela coordenadora do Subprojeto Professora Rosinete Libanio, pelas Supervisoras das escolas parceiras Rosilde Aires de França Maya e Claudia Andrade da Cruz e Professores Colaboradores do IFTO: Madalena Teles,  Elvis Nascimento,  Jânio Carlos e Professores Avaliadores do Cem Félix Camoa. 
Já  no período de 07 a 29 de março 2017, promoveram minicursos com o uso dos Recursos Tecnológicos existentes na Escola, tendo como público-alvo: 48 (quarenta e oito) estudantes do Ensino Médio Regular do CEM Félix Camoa. 
Os minicursos ofertados foram: Noções de Excel/Calc; Ferramentas de Apresentação do Google e Introdução ao Prezi, ministrados por 10 (dez) bolsistas do Pibid do Subprojeto Computação de Porto Nacional, sob a Supervisão de Rosilde Aires e Coordenação de Rosinete Libanio. 
Os objetivos desses minicursos foram: promover a busca do conhecimento, desenvolver o hábito e o interesse pela informática, a criatividade e autonomia dos estudantes com a utilização das ferramentas, compreendendo a sua abrangência para pesquisas e apresentação dos trabalhos, sabendo Interpretar fatos relacionados à realidade atual. 
Segundo a coordenadora Rosilde França, os estudantes tiveram a oportunidade de identificar as funções básicas das ferramentas e a partir daí, colocar em prática tudo que foi visto: como aprender a utilizar fórmulas, criar gráficos, tabelas, criar uma conta, inserir imagens, ícones, vídeos, músicas, layout, diagramas, arquivos e criar e importar slides a partir do Power Point para o Prezi. Finaliza: “Foi um grande aprendizado, os alunos ficaram satisfeitos. 
Ao final todos receberam certificados de participação”. Informações repassadas por Rosilde Aires de França Maya - Coordenadora de Apoio Pedagógico do CEM Félix Camoa.


quarta-feira, 12 de abril de 2017

Mapa Mundi da Literatura Faz Sucesso em Rede Social

Um usuário da rede social Reddit ganhou destaque ao criar um mapa mundi com clássicos da literatura. A plataforma já tem mais de 60 milhões de usuários, entre eles Barack Obama, e permite criar fóruns e inserir conteúdos externos.
O usuário Backfoward24 ganhou destaque essa semana com seu mapa e mostrou o Brasil com a obra Dom Casmurro, de Machado de Assis.
Os Estados Unidos e o Canadá são marcados pelo livro O Sol é para Todos, de Harper Lee. A Rússia, por seu grande território, fica em relevância com  Guerra e Paz, de Liev Tolstói, e a França aparece com Os Miseráveis, de Victor Hugo.
O mapa é interessante porque permite sabermos quais obras são mais marcantes de todos os países do mundo.
Ficou curioso? Para visualizar a imagem, clique neste link.
Sobre a rede social
No Brasil, a Reddit ainda não pegou, mas já tem adeptos. Será que ela vai fazer sucesso? O site tem uma versão em português e basta fazer um cadastro para criar um perfil.
Confira o mapa mundi em da literatura em alta resolução aqui!


Fonte: https://canaldoensino.com.br/blog/mapa-mundi-da-literatura-faz-sucesso-em-rede-social, em 12 de abril de 2017

sexta-feira, 3 de março de 2017

Tabela periódica interativa mostra o propósito de cada elemento

O americano Keith Enevoldsen desenvolveu uma tabela com explicações e exemplos de como os elementos funcionam
http://elements.wlonk.com/ElementsTable.htm
Uma das maiores dificuldades que os estudantes encontram ao conhecer a tabela periódica é entender as aplicações que os elementos têm em suas vidas. Pensando nisso, o americano Keith Enevoldsen criou uma tabela interativa que dá mais informações sobre os elementos e exemplos de como eles são utilizados.
Enevoldsen é formado em física pela Colorado College, nos Estados Unidos, e atualmente trabalha como engenheiro de softwares. "Quando era criança, gostava das tabelas periódicas com figuras, mas elas nunca tinham boas imagens de todos os elementos", contou à BBC
Inspirado pelo livro Building Blocks of the Universe (Blocos de Construção do Universo, em tradução livre), de Isaac Asimov, que possui relatos da história e do uso dos elementos, o engenheiro desenvolveu a "The Periodic Table of the Elements, in Pictures and Words" (A Tabela Periódica dos Elementos, em Figuras e Palavras). 
A tabela em versão interativa está disponível em inglês na internet (clique aqui para conhecê-la) e conta com ilustrações em cada um dos elementos. Ao clicar nos ícones deles, novas caixas aparecem no topo da página com explicações do elemento, bem como exemplos de onde ele pode ser encontrado. O ícone do ferro, por exemplo, é uma ponte, já o do sódio, é o sal. 
"Queria que toda a tabela fosse colorida, com um desenho limpo, que não fosse cheia dos números dos pesos atômicos que, para as crianças, não servem para muita coisa", explicou. 
O site de Enevoldsen também disponibiliza a tabela em pdf em diversos tamanhos para serem impressas em casa — tudo de graça. Confira aqui.
Fontes: http://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2016/11/esta-tabela-periodica-interativa-mostra-o-proposito-de-cada-elemento.html
http://elements.wlonk.com/ElementsTable.htm em 04 de março de 2017. 

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

UNESCO lança livro sobre métodos para avaliar uso de tecnologias na educação

Em parceria com a Fundação Telefônica Vivo, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) lançou nesta semana (20) o livro “Experiências Avaliativas de Tecnologias Digitais na Educação”. A publicação aborda iniciativas do Brasil, França, Chile, Uruguai e Argentina para medir o impacto das novas tecnologias de informação e comunicação (TICs) em projetos pedagógicos.
Em parceria com a Fundação Telefônica Vivo, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) lançou nesta semana (20) o livro “Experiências Avaliativas de Tecnologias Digitais na Educação”. A publicação aborda iniciativas do Brasil, França, Chile, Uruguai e Argentina para medir o impacto das novas tecnologias de informação e comunicação (TICs) em projetos pedagógicos.
Com o volume, a agência da ONU e seu parceiro esperam fomentar o debate sobre a importância de monitorar programas de educação relacionados ao mundo digital.
“Discutir isso com especialistas de diferentes países, com experiências distintas, reforça o compromisso da Fundação Telefônica Vivo em apontar caminhos inovadores no campo educacional”, diz o diretor presidente da Fundação, Americo Mattar.
A publicação reúne as vivências de especialistas nos diferentes países. O objetivo do livro é auxiliar na descoberta de qual são os custos e benefícios reais da introdução de novas tecnologias em sala de aula.
O livro pode ser acessado gratuitamente pela internet. Confira a publicação clicando aqui.
Saiba mais sobre os autores do livro em: bit.ly/2m4Y1OD.

Fonte: https://nacoesunidas.org/unesco-lanca-livro-sobre-metodos-para-avaliar-uso-de-tecnologias-na-educacao/ em 22 de fevereiro de 2017.

UNESCO lança livro sobre métodos para avaliar uso de tecnologias na educação

Recentemente a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco) liberou um livro totalmente gratuito que trata de falar do que se deve ensinar sobre o HIV. A doença em questão não tem cura e por isso a educação sobre ela deve ser eficiente, para evitar novas contaminações e também para quebrar certos paradigmas e medos sobre o HIV.
O vírus da imunodeficiência humana, ou simplesmente HIV, é um dos males que mais assusta a população mundial, principalmente aqueles que vivem em países com saneamento e saúde precária. A doença causada pelo vírus diminui as defesas do corpo, deixando-o fraco o suficiente mesmo para se proteger de simples resfriados. A pessoa que adquirir o HIV terá de leva-lo por toda a vida, já que a doença não tem cura até o momento, apesar de possuir um tratamento que prolonga a vida do portador por muito tempo, fazendo com que este tenha uma vida relativamente normal.
A melhor forma de se combater o HIV é através da prevenção, sendo que o maior meio de transmissão está através do ato sexual. Cuidados como fazer sexo sem camisinha são essenciais para evitar a proliferação do vírus. As zonas de maiores riscos são as mais pobres, onde a saúde é precária e a informação é pouco disseminada. É nesse momento em que o livro disponibilizado pela Unesco é importante, para que profissionais da educação e da saúde saibam como lidar com as informações sobre HIV e também como dissemina-las de forma correta.

Conteúdo do livro

O livro “Educação e HIV: Evolução e Perspectivas” está divido em 4 capítulos, todos tratando de teorias e práticas a serem seguidas para uma boa educação e na maneira adequada de se disseminar a informação sobre o HIV. Os capítulos são:
Capítulo 1: A Evolução da Resposta
Capítulo 2: Desafios e Debates Atuais
Capítulo 3: Desenvolvimentos e Oportunidades
Capítulo 4: Rumo a uma nova abordagem
Os temas são os mais variados, que vão desde “O papel do setor de educação na resposta do HIV” até “Adaptação a uma epidemia em mudança”.

Formas de uso do conteúdo

O livro é destinado para profissionais da educação, mas pode servir muito bem para médicos e enfermeiros assim como estudantes de pedagogia e medicina ou mesmo alunos do ensino médio.
O conteúdo do livro aborda a educação sobre o HIV e isso ajuda a quebrar preconceitos e melhorar a forma como as pessoas tratam a doença. Quanto mais cedo esse tipo de informação chegar as pessoas, menos serão as divergentes e os medos, tratando a doença como perigosa e não as pessoas.

Como baixar o livro

Para ter acesso ao livro disponibilizado pela Unesco, basta clicar aqui. A nova janela irá surgir um documento em PDF que pode ser lido em qualquer computador ou smartphone. Para baixar basta clicar em “Salvar Como…” no canto a direita da tela, o botão está representado pelo ícone de um disquete. Se você deseja imprimir, basta clicar no desenho da impressora.


quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

10 dicas para organizar aulas digitais

http://extelviraramos.com.br/aulas_digitais.asp
1 – Pegue leve com você mesmo: Se você é novo com a tecnologia, esse tipo de aula pode ser uma grande mudança com uma curva de aprendizado muito íngreme. Portanto pode ser que você não tenha tanto conhecimento de primeiro, mas isso é normal.
2 – Peça dicas aos seus colegas de trabalho: Se você está com dificuldades não tenha medo de perguntar para seus amigos e colegas de trabalho como algo funciona ou até mesmo como conduzir suas aulas.
3 – Peça dicas aos seus estudantes: Na área da educação você tanto ensina quanto aprende, portanto não se preocupe em pedir ajuda aos seus estudantes, é parte natural da vida de professor. É muito provável que as gerações mais novas tenham novidades para te ensinar na tecnologia.
4 – Estude online: A internet está cheia de aulas e tutoriais que você pode fazer para começar a aprender sobre tecnologia e como realizar certas tarefas em um computador ou Tablet.
5 – Google é seu amigo: Como qualquer outra área da vida, sempre que você tiver uma dúvida, vá para o Google.
6 – Saiba como impor regras de informática: Na informática é preciso seguir algumas regras, portanto, lembre-se de passar essas regras para seus alunos. De começo as regras mais importantes são comidas e bebidas longe de qualquer ferramenta da informática, proteger suas senhas e ficar de olho apenas na sua tela.
7 – Use as aulas para ensinar etiqueta na internet: Enquanto ensina sobre matemática e português, também ensine como ser uma boa pessoa na internet, ensine a respeitar os outros online e a seguir regras de convivência.
8 – Use a nuvem: Depois de passar a aula para os alunos, ou então criar alguma lição que você queira que eles levem para a casa, procure jogar isso na nuvem. Através de uploads você aumenta o acesso que os alunos podem ter ao conteúdo, fazendo com que eles possam encontrar a lição em qualquer lugar com conexão com à internet.
9 – Crie alguns quizzes: Todo mundo gosta de responder um Quiz, eles são divertidos e funcionam bem para ajudar a memorizar a matéria de forma bem fácil. Com aulas digitais você pode usar esse recurso de forma bem simples, até mesmo pedir para que seus alunos criem um quiz para ser respondido entre eles, dessa forma a aula terá resultados muito melhores. Você pode criar ou deixar que seus estudantes criem quizzes com esse site.

10 – Utilize jogos para ajudar: Jogos podem ser grandes aliados na hora de ajudar com a aula digital, não apenas jogos educativos. Sim, jogos educativos são fundamentais, mas você pode usar jogos como Angry Birds e Cover the Orange para ensinar sobre raciocínio lógico e outros elementos importantes para a vida de um estudante.


CEDERJ abre curso online gratuito sobre mosquito Aedes Aegypti

O Consórcio Cederj, ligado à Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação, lança nesta quarta-feira (21), o curso online aberto (da sigla em inglês Mooc) de combate ao Aedes aegypti, com 1.600 vagas. Objetivo é capacitar e informar a população sobre as doenças transmitidas pelo mosquito (dengue, zika e chikungunya).  O projeto foi desenvolvido pelas áreas de divulgação cientifica e extensão do Cederj, com a colaboração de pesquisadores da Fiocruz. As inscrições começam nesta quarta (21/12) e vão até 16/01.
O lançamento coincide com o início do verão, que é quando o mosquito se prolifera e as doenças transmitidas por ele aumentam. Só este ano o estado do Rio registrou 15 mil casos de zika, até o mês de outubro. O formato do Mooc, por ser um ambiente virtual aberto, permite atender a um grande número de alunos simultaneamente. O curso é gratuito e não precisa de pré-requisitos ou formação prévia. O material do curso consiste em vídeos, textos e atividades que podem ser impressas.
O objetivo principal para a criação do Mooc é de conscientizar a população sobre as características do mosquito Aedes aegypti O curso leva em conta o que é necessário saber para combater o mosquito e se prevenir contra as doenças.
“Precisamos combater o agente transmissor dessas doenças. A Secti e o Cederj usaram o conhecimento e ferramentas EaD para colaborar na luta contra a Zica, que já provocou milhares de dramas pessoais. Acreditamos ser fundamental capacitar a população para reconhecer todos os possíveis focos de Aedes”, ressalta o presidente do Cederj, Carlos  Bielschowsky.

Após a conclusão do curso, é possível reconhecer e realizar ações de combate ao mosquito dentro de casa, além de propagar conhecimentos para a família, os amigos e a comunidade em geral.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

DRE Porto Nacional promove oficina pedagógica em recursos tecnológicos

A Diretoria Regional de Ensino, por meio do Núcleo de Tecnologia de Educação (NTE), de Porto Nacional promoveu capacitação em recursos tecnológicos, no último sábado 26, no Centro de Ensino Félix Camoa, com oficina pedagógica para uso da lousa digital portátil e recursos educacionais. Participaram do evento professores, coordenadores pedagógicos, orientadora educacional, auxiliar de biblioteca e alunos representantes de turmas.

O evento tem por objetivo propiciar aos participantes a utilização de mais uma ferramenta tecnológica, que vem para dinamizar suas aulas, além de garantir a interação dos alunos no processo ensino aprendizagem através do uso dos recursos midiáticos presentes na escola. 

Na oportunidade, os alunos tiveram acesso ao uso da inclusão das novas tecnologias em sala de aula. Para a estudante da 3ª série do ensino médio, Clara Guisti, foi muito importante participar da oficina, “com a inserção da tecnologia nas aulas, teremos aulas mais dinâmicas e professores mais preparados”, disse a estudante.

Já o presidente do grêmio estudantil, Matheus Pereira Dias contou que a capacitação foi uma inovação do método de ensino, “incluir as novas tecnologias em sala de aula é essencial para desenvolver ainda mais o potencial dos alunos e explorar os conhecimentos dos professores”, pontuou.

“Foi mais uma oportunidade de aprendizado, além de aprender a manusear a lousa digital móvel, a dinâmica de interação e reflexão foi muito importante para o momento”, disse o professor Genival da Silva Guedes.

A formadora do NTE, Rosileide Ribeiro Rodrigues destaca que a parceria do aluno no uso dos recursos midiáticos na escola. “A participação dos alunos é de suma importância para uma aprendizagem mais significativa e inclusiva, parabenizo a escola pela iniciativa de convidar os alunos para participar da oficina.” 









quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

O que a poesia pode ensinar na educação

A poesia pode ser trabalhada de várias maneiras em sala de aula e, por isso, pode ensinar muito, mas tudo vai depender da forma que vai usar a poesia na sua aula. Um exemplo se da como forma de alfabetização, é possível apresentar aos alunos algumas poesias e depois trabalhar as letras e palavras dela, mas esse é só um exemplo. Por isso, veja o que a poesia pode ensinar na educação.
Ela pode ensinar tanto que você vai se assustar com as inúmeras possibilidades, para ajudar, vamos fazer uma lista com o que a poesia pode ensinar na educação, assim ficará mais fácil visualizar. Depois é só escolher o que apresentar para os seus alunos e começar a aproveitar tudo o que a poesia pode oferecer.
Na alfabetização – Como apresentamos no início a poesia pode ser usada na educação, se você não conhece muitas formas de introduzir a alfabetização aos alunos, essa é uma importante ferramenta. Mas a poesia pode ser uma forma interessante de fazer essa introdução, use poesias mais conhecidas e com palavras simples e fáceis como “A porta” de Vinícius de Moraes:

Sou feita de madeira
Madeira, matéria morta
Não há nada no mundo
Mais viva que uma porta

Eu abro devagarinho
Pra passar o menininho
Eu abro bem com cuidado
Pra passar o namorado

Eu abro bem prazenteira
Pra passar a cozinheira
Eu abro de supetão
Pra passar o capitão

Eu fecho a frente da casa
Fecho a frente do quartel
Eu fecho tudo no mundo
Só vivo aberta no céu!


O que é poesia?
É possível ensinar também o que é poesia, ensinar como é feita, entre outras coisas. A poesia retrata algo em que tudo pode acontecer dependendo da imaginação, é um gênero literário, ela é caracterizada pela composição em versos, como você pode ver na poesia acima os versos são estruturados de forma harmoniosa. Não é apenas interessante, mas também importante apresentar a poesia para os alunos, ela tem muito o que ensinar. 


Gêneros
Vamos aprofundar um pouco mais sobre o assunto? Existem gêneros poéticos e os alunos precisam saber um pouco sobre esse assunto, esse tema é importante, pois não é o bastante conhecer algumas poesias, é preciso entender mais sobre elas. Aproveite também para explicar a diferença de poesia para poema, existe uma diferença e os alunos precisam saber.
Conhecendo autores consagrados
Uma forma interessante de apresentar novos autores aos alunos é usando a poesia, existem muitos autores consagrados que escreveram poesia, seus alunos precisam conhecer alguns deles. Essa é uma dica de como a poesia pode ensinar na educação, apresente poesias de autores como Carlos Drummond de Andrade, Manuel Bandeira, Vinícius de Moraes, Olavo Bilac, Cecília Meireles, entre outros.
História
A poesia também conta história, muitos autores fizeram poesia inspirados em acontecimentos da época, por isso a poesia pode ensinar na educação de história também. Nós falamos que você se surpreenderia com o que a poesia pode apresentar para os alunos.
É sempre interessante sair um pouco do casual e enxergar além, veja o que você pode ensinar para seus alunos com a poesia, esses são apenas alguns exemplos, existem muitos outros, por isso, fique atento e use sua criatividade. Se tiver alguma dúvida sobre o tema ou até mesmo usa sugestão para trabalhar a poesia em sala de aula não esqueça de deixar um comentário.

Fonte: https://canaldoensino.com.br/blog/como-ensinar-a-partir-de-tablets em 01 de dezembro de 2016.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...